domingo, 25 de dezembro de 2011

A mulher intuitiva

imagem da web
Ela é aquela de longa trança, cheia de anéis e olhar profundo. Ela caminha descalça sobre a terra, dorme sobre os galhos das árvores e não teme o vento que balança seus cabelos como as folhas dos galhos. A mulher intuitiva é aquela que dança nas pontas dos pés e gira sua saia e balança seus quadris. Ela senta-se ao redor de uma fogueira com as outras de seu grupo, pois não pode viver só. E, estando em grupo, partilha da sabedoria ancestral que traz consigo, sua sabedoria de velha, seu amor maternal e sua leveza de menina. Ela faz poesias e usa as palavras com o cuidado de respeitar-lhes o poder, pois cada palavra pode compor um verso, uma prece,  um cântico ou um encanto. E ela caminha fluida e intocável por florestas escuras e retorna à luz, pálida e nua. Se preciso, ela veste-se de armas e escudos e luta. Ela retorna da guerra para mostrar aos seus que é a batalha que nos mantém fortes, não o descanso. E, como um lobo, ela lambe as próprias feridas como se tivesse na ponta da língua um bálsamos para tudo. Ela é forte, é sábia e tranquila. Ela é avó, mãe e filha. Ela guarda em si todos os segredos da vida.


Rafaelle Benevides.


quarta-feira, 21 de dezembro de 2011

Detalhes

Vik Muniz

Os mais ínfimos detalhes são responsáveis pelas mais notáveis diferenças.


A imagem acima é de Vik Muniz e faz parte de uma série de imagens de crianças que trabalhavam na colheita de cana-de-açúcar. Obs.: A imagem é feita de açúcar sobre papel preto.

domingo, 18 de dezembro de 2011

Mulher do mar

A escafandrista

Quem pode prever
E dizer que a vida
Não será aquilo que se quer?


Quem pode compreender
E dizer dos segredos
Sob os cabelos dessa mulher?


E a força contida na trança
Que prende e, quando bem entende,
Arranca do peito o mal-me-quer.


Quem pode contar no tempo
As voltas que a vida dá?
E querer dizer-se amada,
E querer voltar a amar?


E quem vê a alegria
No olhar de criança,
Que não se vê sob a trança
De uma mulher do mar.

domingo, 11 de dezembro de 2011

O Mar serenou

Clara Nunes
O mar serenou quando ela pisou na areia
Quem samba na beira do mar é sereia
Clara Nunes
O pescador não tem medo
É segredo se volta ou se fica no fundo do mar
Ao ver a morena bonita sambando
Se explica que não vai pescar
Deixa o mar serenar
O mar serenou quando ela pisou na areia
Quem samba na beira do mar é sereia
A lua brilhava vaidosa
De si orgulhosa e prosa com que deus lhe deu
Ao ver a morena sambando Foi se acabrunhando então adormeceu o sol apareceu
O mar serenou quando ela pisou na areia
Quem samba na beira do mar é sereia
Um frio danado que vinha
Do lado gelado que o povo até se intimidou
Morena aceitou o desafio Sambou e o frio sentiu seu calor e o samba se esquentou
O mar serenou quando ela pisou na areia
Quem samba na beira do mar é sereia
A estrela que estava escondida
Sentiu-se atraída depois então
apareceu
Mas ficou tão enternecida Indagou a si mesma a estrela afinal será ela ou sou eu
O mar serenou quando ela pisou na areia
Quem samba na beira do mar é sereia

domingo, 4 de dezembro de 2011

A casa

A
casa
que eu fiz
pra você morar
Encheu-se de luz e cor
Ao te ver chegar.
Tão feliz ao te ver,
A casa voltou a ser
Lugar para se morar.



terça-feira, 29 de novembro de 2011

Cavalos no mar

Para o meu Fá

Weheartit

Ouço teus passos,
Parto em disparada,
Cavalos no mar.

Controlo com os olhos
O movimento do relógio
Que insiste em desencontrar.

Retorna, amor tão grande,
Ao meu peito desejante,
O meu abraço é o teu lugar.

Loucura incessante:
Somos mãos e beijos,
Cheios de desejos,
Somos cavalos no mar.

sexta-feira, 18 de novembro de 2011

Inspiração inicial



"Passa-se milênios e aquele amor vai ficar até debaixo d´água". Chico Buarque.

sábado, 12 de novembro de 2011

Egoísta

Ando egoísta. Ando querendo tudo só pra mim, sem dividir nada com ninguém. Quero todos os carinhos, todas as horas vagas, todos os sorrisos... quero todas as alegrias do mundo ao mesmo tempo e agora. É, eu ando egoísta, sim.

sexta-feira, 11 de novembro de 2011

Poema da Saudade

Para o meu Fá

O que será de mim, o que será?
Quando chegar a noite fria
E nas horas vazias
Eu não te encontrar?

O que será dos olhos meus
Quando procurarem os teus
Como o barco busca o mar?

O que será dos beijos meus
Quando precisarem dos teus
Para se concretizar?

O que será, enfim, do meu coração
Feito barco, procurando em vão,
O teu abraço para aportar?

domingo, 23 de outubro de 2011

Pergunta essencial

Quem é você?







Antes de responder "sou fulano, vivo em tal cidade, trabalho nisso ou naquilo...", pense primeiro no lugar de onde você veio. Depois pense no lugar onde você está agora e em tudo o que você fez para chegar até aí. Em seguida, pense onde você quer chegar e em tudo o que você deve fazer para chegar lá. Talvez você obtenha a resposta mais verdadeira para a pergunta essencial. 

quarta-feira, 19 de outubro de 2011

Fortaleza Nublada

‎"Desejava fazer versos
Que clareassem este dia,
Sob as nuvens dança dispersa
Cada vida em sua poesia.

Cada dia guarda uma surpresa,
Hoje, apenas nuvens a pairar.
Amanhã nasce outro dia
Na minha Fortaleza de sol e mar".


Hoje faz 28 °C na nossa sempre ensolarada Fortaleza... Nem chuva, nem sol.. até o céu tem os seus dias de indecisão.





Bom dia a todos!

sexta-feira, 14 de outubro de 2011

Ser azul

Viajar na cor dos teus olhos e ser azul.
Viajar no tempo,
Viajar com o vento,
Do norte ao sul.

Para R. F.

segunda-feira, 10 de outubro de 2011

O verso nosso de cada dia

weheartit






Rezo com fervor para que algo mude. 
Acordar todos os dias e tomar o mesmo café,
 beijar a mesma boca, caminhar o mesmo caminho, 
com os mesmos sapatos velhos... Isso não dá mais. 
Chega um momento na vida que é preciso
 dormir um pouco mais, tomar leite, 
comer pão, fazer verso. 
Viver como se a vida tivesse uma trilha sonora 
e o refrão soasse quando virássemos a esquina. 
Trocar os sapatos, beijar outras bocas,
 fazer outros versos... 
E viver a vida que se quer viver.

quarta-feira, 5 de outubro de 2011

Caminho

Weheartit


De peito aberto,
Tenho sete vidas,
Estou a sete palmos
Acima do chão.


Seguindo em frente,
Cabeça erguida,
Sangue pulsando nas veias,
A mente quieta, aquieta coração.


Vou seguindo
Fazendo o caminho
Como quem faz verso,
Compondo uma canção.

P.S.: Pessoal estou viajando e ainda não tive tempo de responder aos comentários da postagem anterior, mas todos serão respondidos em breve. Muito obrigada por mergulharem aqui!

quarta-feira, 21 de setembro de 2011

Forrobodó


Fui dançar com toda gente,
Fui mesmo sem rebolado,
Com uma morena quente,
E um ventilador do lado.


Fui ver o que era bom,
Fui pro nordeste dançar forró,
Fui aprender o que era bom,
Fui pro tal forrobodó

segunda-feira, 12 de setembro de 2011

Mar azul

illustration



Um lugar ao sol
Um lugar no céu
Um lugar ao sul


Um lugar só meu
Onde faço então
Do coração um mar azul.








P.S.: Respondendo (ainda) aos comentários da postagem anterior.

quarta-feira, 7 de setembro de 2011

Felicidade

"A cada dia que vivo, mais me convenço de que o desperdício da vida está no amor que não damos, nas forças que não usamos, na prudência egoísta que nada arrisca e que, esquivando-nos do sofrimento, perdemos também a felicidade".


http://weheartit.com/entry/14418548

terça-feira, 30 de agosto de 2011

Epicentro Lunar


Beijo a tua boca de café e o meu humor oscila, varia como as fases da lua. Um dia gosto, outro desgosto. As minhas poesias tomam formas diversas. Falo de amor ou não? Melhor não. Falo então dos encontros inesperados, das perdas, dos ganhos, das alegrias e dos anseios. E recordo ter dito a uma amiga que não estava tão feliz assim, não sentia borboletas no estômago. Então dormi e sonhei contigo. Isto chama-se inconsciência. Logo então comecei a sentir as tais borboletas. Isto chama-se incoerência. E termino o meu dia inconsciente dos meus próprios desejos, ato falho em forma de gente, com borboletas no estômago, cataclismo no meu epicentro lunar, incoerente.

domingo, 28 de agosto de 2011

Sinônimos


Quanto o tempo o coração, leva pra saber
Que o sinônimo de amar é sofrer
No aroma de amores pode haver espinhos
É como ter mulheres e milhões e ser sozinho
Na solidão de casa, descansar
O sentido da vida, encontrar
Ninguém pode dizer onde a felicidade está
O amor é feito de paixões
E quando perde a razão
Não sabe quem vai machucar
Quem ama nunca sente medo
De contar o seu segredo
Sinônimo de amor é amar
Quem revelará o mistério que tenha fé
E quantos segredos traz o coração de uma mulher
Como é triste a tristeza mendigando um sorriso
Um cego procurando a luz na imensidão do paraíso
Quem tem amor na vida, tem sorte
Quem na fraqueza sabe ser bem mais forte
Ninguém sabe dizer onde a felicidade está
O amor é feito de paixões
E quando perde a razão
Não sabe quem vai machucar
Quem ama nunca sente medo
De contar o seu segredo
Sinônimo de amor é amar
O amor é feito de paixões
E quando perde a razão
Não sabe quem vai machucar
Quem ama nunca sente medo
De contar o seu segredo
Sinônimo de amor é amar
Sinônimo de amor é amar
Sinônimo de amor é amar
O amor é feito de paixões
E quando perde a razão
Não sabe quem vai machucar
Quem ama nunca sente medo
De contar o seu segredo
Sinônimo de amor é amar
Quem revelará o mistério que tem a fé
E quantos segredos traz o coração de uma mulher
Como é triste a tristeza mendigando um sorriso
Um cego procurando a luz na imensidão do paraíso
O amor é feito de paixões
E quando perde a razão
Não sabe quem vai machucar
Quem ama nunca sente medo
De contar o seu segredo
Sinônino de amor é amar

Hermann Hesse

"Se você odeia alguém, é porque odeia alguma coisa nele que faz parte de você. O que não faz parte de nós, não nos perturba." Hermann Hesse.
As duas ultimas frases publicadas aqui são de Hermann Hesse, escritor alemão, que já tinha ouvido falar, mas nunca havia parado mesmo para ler calmamente. Foi uma grata surpresa conhecer através de Flor com Espinhos
Quem quiser conhecer melhor, há frases do escritor em Pensador. Boa semana a todos!

sábado, 27 de agosto de 2011

Dia do Psicólogo

‎"Nada posso lhe dar que já não exista em você mesmo. Não posso abrir-lhe outro mundo de imagens, além daquele que há em sua própria alma. Nada posso lhe dar a não ser a oportunidade, o impulso, a chave. Eu o ajudarei a tornar visível seu próprio mundo e isso é tudo" (Herman Hesse)


Feliz dia do Psicólogo.

terça-feira, 23 de agosto de 2011

Oração

Oração - A Banda Mais Bonita da Cidade



Desta vez a poesia fica por conta da Banda Mais Bonita da Cidade.

segunda-feira, 22 de agosto de 2011

Efeito

Ver-te,
Desencadeado efeito,
Querer-te.
E deslizar nos teus espaços vazios,
Manter-te nos meus braços nos dias frios
E ter-te.

quarta-feira, 17 de agosto de 2011

Poesia de Aniversário

Dedicado a R. F.


A vida não conta-se em dias,
Nem meses, nem anos.
A vida conta-se das alegrias
E alguns desenganos.


A vida faz-se aos poucos,
Conta-se nos amigos que fazemos,
Nos amores que vivemos,
Nos momentos mais simples e loucos.


A vida é feita na lida,
A vida de cada um,
Cada um é quem faz.
Mas neste dia,
Desejo que a tua vida
Seja feita de amores, alegrias e paz.

Faço-te versos com esmero,
Para que não te esqueças
Que não te esqueço um só segundo,
Envio-te os meus versos mais simples e sinceros,
Mas desejava fazer-te os versos mais lindos do mundo.



segunda-feira, 15 de agosto de 2011

Brisa da manhã



quero falar do telefone que toca, dos carros que passam, dos meninos que correm...




tropeços, acertos, desapegos, pressa, calmaria, nuvem, sons, memórias, alegria passageira, nostalgia

20:55
QUERO O GOSTO DE FRUTA DOCE E MADURA. A VIDA QUE FLUI, O TEMPO QUE PASSA.

E UM CÉU CHEIO DE ESTRELAS.

e mesmo que amanheça o dia surge outra sensação que renasce agora com cheiro de mato molhado no orvalho da

folha ali tão viva como eu

e no peito germina um sentimento, feito


folha verde, feito flor abrindo-se ao sol.

E a certeza de mais um dia perfumado por esta alegria que não sei e nem quero explicar pois sei que rápida será e portanto
melhor nem pensar
sentir
no ar

21:03
viver, fluir



deixe-se levar
assim como eu
vale a pena
este simples
talvez

um despertar



21:04
temos que tentar



poesia em parceria com Milton Baseggio Lehmkuhl feita pelo Facebook
.


PS.: Respondendo aos comentários da postagem anterior! Beijos a todos os mergulhadores.

sexta-feira, 12 de agosto de 2011

Tanto tempo

Estranho te encontrar todo dia
Falarmos sobre as novidades,
Sobre o tempo que passa,
Sobre um frio que embaça o meu retrovisor.

E chegar mais um final de semana
E ter novos pares para os lábios,
Novos santos diários,
Para adorar sem pudor.

Imagem da web
Estranho falarmos sobre o tempo,
O mesmo tempo que nos separou.
Estranho termos errado tanto
Tentando recuperar esse tempo que passou.

Eu te vejo ir,
Te deixo as portas abertas
Se quiseres voltar.
Tanto tempo que passou,
Tanto tempo não acabou
Minha vontade de te reencontrar.

Estranho te ver aqui
E gastarmos o tempo no elevador
Falando de coisas banais
Enquanto já não somos mais
Aquele casou que se amou.

quinta-feira, 11 de agosto de 2011

Mulheres perfeitas



Imagem da web
Uma dama não fala palavrão, é equilibrada, sensata, pondera tudo, controla-se diante das adversidades, sempre está com um sorriso no rosto e pronta para dedicar-se aos que ama, está sempre perfumada e sabe apresentar-se bem: falando, caminhando, sentando ou em qualquer outra forma na qual apresente-se. Uma dama pode ser considerada uma mulher perfeita? Não, alguns dirão. Porque uma mulher também deve saber demonstrar sua natureza, ser sincera e falar o que pensa, deve vestir calças e ir trabalhar. Muitas mulheres competirão com seus próprios maridos, outras não os terão. Então uma mulher perfeita será uma dama que veste calças? Não, outros dirão, pois uma mulher também deverá saber colocar-se como mulher, fazendo-se respeitar enquanto tal, cuidará de seus filhos e de sua família sem esquecer-se de si mesma. Pensando nisso,  muitas irão engajar-se para mudar suas personalidades fortes ou para aprender a cuidarem de si mesmas, muitas cuidarão mais dos maridos, outras sairão em busca de seus objetivos, outras terão filhos, outras farão lipoaspiração. No final, poucas serão consideradas sequer próximas desses padrões. Onde está a perfeição?

segunda-feira, 8 de agosto de 2011

Nascimento dos versos

_________________
é curioso... eu escrevo
sobre coisas que sinto,
mas que não entendo.
________________




As palavras acariciam-se umas às outras em versos. Docemente espalham-se sobre o papel e bailam, ininterruptamente, num movimento fluido e quase natural. É como se juntas formassem uma coisa só, uma receita de bolo caseiro, uma brincadeira de criança, um bloco de carnaval. Unem-se e escorregam umas entre as outras, numa orgia literária. Eu observo, boba, cada palavra tomar vida própria num papel em branco e presencio uma poesia dar vida a si mesma, parindo-se: velha, mãe e virgem, arquétipo de si.




Respondendo aos comentários da postagem anterior... Beijos!!!

sexta-feira, 5 de agosto de 2011

Poema pra dizer adeus

Quisera descansar meus olhos,
Descansar o peito e a boca
Da vertigem que causam as ondas
Enquanto o mar é só ânsia.

De volta ao cais eu reconheço o teu rosto
Como o cão que reconhece o dono
E logo arqueio meu corpo em tua direção
E não te beijo.

Faço então o retorno ingrato
Daquilo tudo que poderia ter sido
E perdeu-se nas margens dos rios
Das minhas poesias profundas e tolas.

Eu despeço-me de ti sem largar as malas,
Dando as boas vindas à nova vida
Que chega revestida de amor e vaidade pouca
Com os olhos brilhando e pérolas nos cabelos.

segunda-feira, 1 de agosto de 2011

Universo poético

Talvez você não entenda
Essa coisa de fazer poema,
Mas é preciso sentir.
Sei que tudo o que você queria
É que eu te fizesse uma poesia,
Mas eu não consegui.
É que te beijar já é verso,
Teu olhar é o universo
Mais poético em que já vivi.

domingo, 31 de julho de 2011

Cavalos & Cegos

Andei por aí catando sonhos. Andei perdido em meio a tantos devaneios tolos, infantis. Andei por aí sem saber do tempo, entregue ao vento, como folha que cai. Andei sem rumo, perdi o prumo, perdi o bonde, perdi a hora. É que a oportunidade é cavalo com sela, pronto de rédeas, a passar diante dos nossos olhos... dos nossos olhos cegos. Andei meio solto no mundo, meio sem palavras para descrever o que sinto. E o que sinto é cavalo selvagem, sem sela e sem rédeas, a passar diante dos olhos dos cegos.



A verdadeira medida de um homem não é como ele se comporta em momentos de conforto e conveniência, mas como ele se mantém em tempos de controvérsia e desafio. (Martin Luther King Jr.) 

sábado, 30 de julho de 2011

Analfabetos

"Os verdadeiros analfabetos são os que aprenderam a ler e não leem." 

Mário Quintana

sexta-feira, 29 de julho de 2011

Por que o quê?

Imagem da web




Eu: "Por que você está comigo?"
                (...)
Ele: "Porque você é foda".

E eu resolvi publicar aqui depois que ganhei o dia!
; D

quinta-feira, 21 de julho de 2011

Déjà Vu

Passam as horas e eu penso nos versos que gostaria de ter escrito. Penso naqueles que escrevi e não publiquei, penso naqueles que publiquei e senti que já os tinha escrito antes. Déjà vu, deixa vir o verso. Deixa que a poesia nasce por si só, passa anos a gerar-se num espaço qualquer da alma e, num dia qualquer, nasce. Nasce e brilha, porque poesia é que nem estrela, revela-se.

domingo, 17 de julho de 2011

Ela faz poema

Ela faz poema
E quando escreve não sei se mente,
Se diz o que sente ou só inventa.


E quando demora
Não sei se escreve ou se pensa,
Não se paga, cala ou compensa
Tudo o que se vive ou é só crença.


Ela ri quando quer chorar,
Ela escreve quando quer falar,
Ela faz de tudo um tema
Pros versos que escreve,
Ela faz poema.

O tema foi inspirado em "Ela faz cinema" de Chico Buarque.
P.S.: Ainda estou respondendo aos comentários da publicação anterior. Beijos!

terça-feira, 12 de julho de 2011

Eu vou falar mal de você



Eu vou sair sem hora pra voltar,
Reunir os amigos numa mesa de bar
Eu vou maldizer o seu nome,
Eu vou falar de todos os seus defeitos,
Eu vou revelar os seus segredos
E o que não for verdade
Eu invento.

Será que faz mal publicar um versinho assim? hehe

Citação

"Vamo acordar! Vamo acordar! Tem gente furando a fila e sendo feliz no nosso lugar."


Caio fernando Abreu

domingo, 10 de julho de 2011

Digitais

Virou-me do avesso,
Inverteu-me as horas,
Leu-me como livro que lê-se de trás.
Inscreveu-se em minhas páginas,
Deixou em mim suas digitais.

Só um versinho para começar bem a semana. Boa semana  todos!!!!

sexta-feira, 8 de julho de 2011

Clarice Lispector

“Sobre cada dia ela se equilibrava nas pontas dos pés, sobre cada frágil dia que de um instante para outro poderia se partir e cair em escuridão. Mas ela milagrosamente o atravessava e exausta de alegria e cansaço chegava a dormir para o dia seguinte, surpreendida, recomeçar.”


(Clarice Lispector)


Weheartit

terça-feira, 5 de julho de 2011

Bicho de sete cabeças




Não dá pé, não tem pé nem cabeça
Não tem ninguém que mereça, não tem coração que esqueça
Não tem jeito mesmo
Não tem dó no peito, não tem nem talvez
Ter feito o que você me fez, desapareça
Cresça e desapareça
Não tem dó no peito, não tem jeito
Não tem coração que esqueça
Não tem ninguém que mereça
Não tem pé, não tem cabeça
Não dá pé, não é direito
Não foi nada, eu não fiz nada disso e você fez um
Bicho de sete cabeças
Não dá pé, não tem pé nem cabeça
Não tem ninguém que mereça, não tem coração que esqueça
Não tem jeito mesmo
Não tem dó no peito, não tem nem talvez
Ter feito o que você me fez, desapareça
Cresça e desapareça
Não tem dó no peito, não tem jeito
Não tem ninguém que mereça, não tem coração que esqueça
Não tem pé, não tem cabeça
Não dá pé, não é direito
Não foi nada, eu não fiz nada disso e você fez um
Bicho de sete cabeças

domingo, 3 de julho de 2011

Minha vida segundo Chico Buarque

Brincadeira do FaceBook e resolvi postar aqui. Minha vida segundo (nome de artista ou banda preferidos). Você responde com nomes de músicas de seu artista preferido. Claro que usei Chico Buarque. Vejam a brincadeira abaixo, eu gostei de fazer.

- Você é um homem ou mulher: Uma Menina

- Descreva-se: Mulher faladeira

- Como você se sente: Sentimental

- Descreva o local onde você vive atualmente: Fortaleza

- Se você pudesse ir a qualquer lugar, aonde você iria? A Aurora de Nova York

- Sua forma de transporte preferido: Roda Gigante

- Seu melhor amigo: Geni e o Zepelin

- Você e seu melhor amigo são (estão): Sem compromisso

- Qual é o clima: Noite de verão

- Qual a hora do dia favorita: Sábado à noite

- Se sua vida fosse um programa de TV, seria chamado: Show Biz

- O que é vida para você: É tão simples

- Seu relacionamento: Romance

- Seu medo: Cobras e lagartos

- Qual é o melhor conselho que você tem a dar: Amanhã, ninguém sabe.

- Pensamento do Dia: Eu quero um samba.

- Meu lema: Sonhos sonhos são.

sábado, 25 de junho de 2011

Ele dança.


Escaped Emotions

Ele me faz dançar
E me deixa numa aflição absurda
Quando me beija a nuca
E me põe a girar.

Ele me conduz
E quando me surpreende
Me faz contente
Quando me seduz a dançar.

É no tempo marcado,
Ele me pega pelo braço,
Ele me põe em seu abraço,
Ele me faz dançar.